terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Crochê em alta


Comecei 2013 pensando no material que tinha reservado em duas cores, preto e branco, comprados em 2010... Vinte kg de tiras de lycra que pretendia fazer muitos tapetes, mas acabei produzindo meia dúzia de peças em tear manual e aquelas tiras embaraçadas ficaram guardadas e resolvi trabalhar com crochê. Comprei uma agulha nº 10 e comecei a crochetar sem nenhum objetivo específico a não ser estudar a técnica. As mãos doíam porque não estavam preparadas para aquela atividade pesada, mas com o tempo vamos criando musculatura e apesar de continuar dolorido, a gente se acostuma com a atividade e fica estimulada com as formas e efeitos que esse material pode oferecer. Fiz umas 40 cestas e conheci uma pessoa que estava organizando um evento e me convidou pra fazer o cenário e pra expor as cestas que ficaram com elementos gráficos da arte indígena, tema do evento. Foi então que comecei a criar formas e relevos nas cestas de crochê. Começaram a nascer formas orgânicas e parecidas com corais marinhos e esses produtos foram vendidos para uma loja de decoração recém lançada no Rio de Janeiro e lançados na Feira Rosenbaum que aconteceu no final de 2013 em São Paulo junto com porta garrafas, sacolas, fruteiras e porta vasos. Continuo em 2014 criando objetos exclusivos com o mesmo material e técnica que adorei trabalhar! Feliz 2014 pra você!

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Nadia Rezende no SP Ecoera 3


SP Ecoera 3 acabou ontem e foi novamente um sucesso. Evento organizado pro Chiara Gadaleta aconteceu desta vez na ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil localizada em um casarão tombado pelo patrimônio histórico de São Paulo. Mais de 30 participantes apresentaram suas criações em desfiles, rodada de negócios, oficinas e debates diários, sempre valorizando a economia criativa verde e sustentável que valorizam o meio ambiente com a reutilização de matérias primas normalmente descartada como lixo na natureza. Conscientização, reeducação e debates foram colocados desde a construção do cenário, do qual participo pela segunda vez, até os convidados selecionados pela organização que trouxeram suas vivências pessoas e seus produtos ecologicamente corretos para falar sobre uma postura de responsabilidade que todos nós devemos disseminar. Eu participei criando com Luiz Parisi e Gustavo Silvestre a estrutura da sala de debates e exposição e a fachada com uma cortina de flores coloridíssimas de crochê de tiras de lycra doadas pela indústria têxtil nacional. Produtos foram lançados por grandes marcas como a Puma, Malwee, Sebrae e Puket entre outros e pequenos empresários com marcas expressivas e de grande qualidade como a maquiagem orgânica da Alva, os tênis da Vert e Twins For Peace e muitos artistas criadores de produtos artesanais feitos a mão e principalmente ligados a moda como Vanessa Montoro, Senhorita Galante e Flavia Aranha sem deixar de citar alguns Brechós super importantes pelo seu acervo incrível como a Toca da Cathy e Casa Juice que procura parceiros para um futuro projeto que pretende reunir acervo e historia dos estilistas brasileiros. Convidados foram muitos e super capacitados, mas quero dar destaque para Jackson Araújo que sempre faz uma trilha sonora impecável para os desfiles do evento e falou muito bem sobre sua experiência pelo mundo da moda brasileira e internacional. Foi um evento de bons contatos e muita gente bonita do mundo da moda e sustentabilidade de todo o Brasil.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Cenografia


Este ano começou e quando tenho tempo livre começo sempre uma atividade com tricô ou crochê... Como tenho muito material estocado, quero dizer fios para confecção de tecidos e tapetes, resolvi desembaraçar 10 quilos de tiras de lycra que comprei para fazer tapetes e que sobraram, nas cores branca e preta. Comecei pesquisando formas na cestaria indígena brasileira e com uma agulha grossa de crochê trabalhei minhas ideias. Estas primeiras cestas me trouxeram um convite para criar um cenário com caixas de papelão recicladas de supermercados e lojas. Na época por coincidência começamos a estudar técnicas de carimbos com mais duas amigas que me ajudaram a fazer a impressão das caixas e ainda contei com o apoio de uma prima querida que veio nos ajudar no workshop que demos sobre carimbos neste mesmo evento. Me inspirei no crochê da artista portuguesa Joana Vasconcelos e principalmente na cestaria indígena brasileira como aparece nas fotos desta postagem. Criei mais de 60 cestas de todos os formatos e agora estou construindo peças esculturais que publicarei em breve quando for lançar uma pequena coleção na loja Mais Fibra de Gilberto Lancelotti, em setembro de 2013. Aguardem.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Rendas brasileiras


Rendas, rendas e mais rendas... delicadas, finas, lindas e quase sempre aplicadas aos utilitários e a moda criando peças muito mais valorizadas e requintadas feitas pelos quatro cantos do Brasil com variadas técnicas e materiais. O Sesc Belenzinho na zona leste de São Paulo, apresenta esta bela exposição com uma montagem bem feita, que aproveita efeitos de luz para transmitir os detalhes de pequenas peças de renda diretamente no chão trazendo uma atmosfera poética logo na entrada da ambientação. Algumas peças muito bem elaboradas por artesãs com uma especialidade valorizadíssima na atualidade, não tem ideia dos preços que as grandes marcas conseguem arrematar em suas vendas em lojas de luxo... Cursos rápidos estão sendo ministrados no local por especialistas de vários estados brasileiros como as três rendeiras que encontrei por lá no dia em que fui visitar a exposição, que eram de Maceió, Alagoas - Lais Lima; de Fortaleza, Ceará - Perpetua Martins e de Botucatu, São Paulo - Thais Guerra. Todas ensinando suas técnicas para pessoas inscritas nos vários cursos que acontecem durante o evento. SESC Belenzinho - Rua Padre Adelino, 1000 - Belém / SP.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Têxtil Transformações RIO 2013

Têxtil Transformaçõe RIO 2013 apresenta até dia 29 de junho na Livraria Cultura da Rua Senador Dantas 45, Centro/RJ. uma pequena parte da grande exposição com o mesmo título, que aconteceu em São Paulo em 2012 trazendo uma bela reflexão sobre as artes têxteis e suas transformações ocorridas a partir de 2001 no Brasil e contou com a presença de vários artistas de outras nacionalidades e países. No Rio de Janeiro trouxemos 12 artistas brasileiros e duas artistas de Portugal Inês Carrelhas e Leonor Alvim nossa homenageada que além de grande artista têxtil era também poeta e importante professora de música que nos deixou em 2012 em pleno momento de criação, quando preparava material para uma nova exposição em sua cidade natal Porto em Portugal. Segue abaixo a lista de artistas participantes desta mostra que ainda poderá ser vista até sábado dia 29 de junho: Biah Sampaio, F.marquespenteado, Gilberto Lanzelotti, Galucia Cavalcante, Inês Carrelhas, Leonor Alvim, Louise Forbes, Lucia Higuchi, Marlene Crespo, Miriam Pappalardo, Monica Carvalho, Lala Martinez Corea, Nadia Rezende, Renata Meirelles,

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Ecoera 2 de Chiara Gadaleta


SP.ECOERA 2 aconteceu em 23, 24 e 25 de abril de 2013 na Escola São Paulo no coração de São Paulo, Rua Augusta 2074 nos Jardins. Evento idealizado pela criativa Chiara Gadaleta apresentou uma diversidade de assuntos direcionados para a sustentabilidade que reuniu dezenas de profissionais da moda, da gastronomia, do design das artes, empresários, pensadores que se importam com um futuro mais equilibrado e melhor buscando as transformações necessárias e fundamentais que devemos discutir sobre o que desejamos para o futuro. Reutilizar, transformar e consumir com responsabilidade. Quem participou dos 3 dias de evento saiu dos encontros repensando os temas discutidos... desfiles, lançamentos de produtos, oficinas, degustações, debates e temas variados reuniram centenas de participantes que gratuitamente puderam aproveitar esse 2º encontro anual. Chiara quer levar esse formato de Forum para outros estados e toda a sua simpática e relevante mediação. Eu tive o privilégio de criar a cenografia que tinha como tema o grafismo indígena, então reuni meu grupo de estudos sobre Carimbos que comigo reuniu 80 caixas de papelão reutilizadas do descarte de estabelecimentos comerciais e eu tive o apoio do Pão de Açúcar - loja da Vila Clementino que me doou a maioria das caixas de papelão dos produtos oferecidos nas gondolas do supermercado. Viramos as caixas do avesso e utilizando a técnica de Stencil pintamos formas gráficas que remetessem aos desenhos indígenas. Criamos um cenário muito simples e por isso mesmo muito elogiado como se pode ver nas fotos publicadas. Eu, Lucia Higuchi, Teresa Morgado e Regina Balieiro fizemos uma homenagem a todas as nações indígenas brasileiras. Em uma segunda sala alguns designers e artistas criaram a Exposição A TRIBO com inspiração também indígena criando uma Selva Urbana cheia de referências a moda, ao design e as artes e artesanato de reutilização de diversos materiais têxteis com painéis pintados de Ivone Rigobello, garrafas revestidas em crochê de Chiara Gadaleta, índios estilizados de Luiz Parisi e Gustavo Silvestre, cesta de crochê de Nadia Rezende, fotografias e luminárias... Parabéns Chiara e toda a equipe pelo belíssimo evento que foi o maior sucesso!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

GRAFISMOS INDÍGENAS - BRASIL



O grafismo indígena esta por toda parte e representa sua camuflagem sua proteção, sua decoração de cestas, esteiras e tecidos. Na moda por exemplo, Tufi Duek apresentou em 2012 a coleção que trazia tramas e padrões consagrados do artesanato indígena brasileiro, da pintura corporal e da representação das pintas da onça, das araras e dos cascos das tartarugas. Uma riqueza de composições gráficas que encantam o mundo e inspiram criadores de todas as áreas. Parabéns a Tufi Duek pela coleção, Renato Soares pela fotografia dos índios do Xingú e a nação indígena brasileira pelo belíssimo artesanato que encanta o mundo todo.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Curso de Tecelagem Experimental


No próximo dia 11 de março de 2013 começamos esse curso de 40 horas na Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo trabalhando as seguintes técnicas: 1 Tecelagem com tiras de papel, 2 Tecelagem em estruturas variadas, 3 Costura sobre imagem fotográfica, 4 Envolvimento e amarração, 5 Projeto individual e em grupo, 6 Exposição dos trabalhos desenvolvidos. Não é necessário ter conhecimento prévio e as inscrições devem ser feitas no Portal da Universidade Anhembi Morumbi nos cursos de Extensão. Espero por você lá as 2ª e 4ª feira das 14:30 as 17:00 horas Av. Roque Petroni Junior, 630 - Morumbi, São Paulo, SP - Brasil